• WR São Paulo

Artesãs que constroem uma nova economia






Com certeza você já ouviu falar de Economia Criativa. Mas você sabe o que isso quer dizer e como talvez já faça parte desse novo contexto? Chamado de “economia criativa”, esse setor valoriza os serviços e bens com potencial individual e coletivo para se transformarem em produtos culturais. Esse termo surgiu pela primeira vez em 2001, e nasceu da ideia de unir arte com preservação da herança cultural e reconhecimento local.


Esse setor engloba e agrega atividades como o artesanato, que são trabalhos manuais não industrializados, feitos de matéria prima natural ou reciclada pelas mãos de artesãos.

Esse setor movimenta cerca de R$ 50 bilhões de reais por ano em todo o país. Além disso, o artesanato estimula a identidade cultural de uma região, prezando pela originalidade das peças, que acabam se tornando um item exclusivo – fazendo com que seu valor cresça.

É um setor da economia que está ligado à criatividade, e por isso se enquadra dentro da Economia Criativa. De acordo com a Secretaria da Economia Criativa (SEC), criada pelo Ministério da Cultura, a maior diferença em relação aos setores tradicionais vem do processo de criação e de produção, e não da matéria prima e/ou propriedade intelectual de bens ou de serviço criativo.


De acordo com dados do Portal Brasil, o empreendedorismo feminino cresceu 34% nos últimos 14 anos, e quatro em cada dez lares brasileiros são chefiados por mulheres. Dessas, 41% são donas de negócios próprios, e a maior parte delas empreendem em suas próprias casas, tornando o artesanato um meio de ter autonomia financeira.


É importante observar que a prática artesanal atua nas frentes de economia compartilhada, promovendo trocas e redes de apoio, buscando soluções criativas, responsáveis e respeitando a inteligência da natureza. Criativa, com alto valor intelectual, podemos dizer que ela também é afetiva e simbólica.


Além de habilidade manual, as pessoas que fazem artesanato mantêm a saúde mental em dia e conquistam uma nova fonte de renda.


A Mega Artesanal está aí para provar a importância do setor de arte e artesanato e mostrar como esse mercado tem ganhado cada vez mais produtos, materiais e expositores. Fios, linhas, tecidos, papéis, pincéis, tintas, canetas, máquinas de corte, máquinas de costura, colas, enfim, uma infinidade de ferramentas e acessórios.


Para começar a trabalhar com o artesanato, primeiramente é preciso se organizar, aprender, se capacitar sempre e, sobretudo, valorizar o seu próprio trabalho dando o preço certo para suas peças e expondo em locais apropriados.


Para divulgar o seu trabalho, nada melhor do que usar as redes sociais e participar de eventos! Poste fotos bonitas do que está fazendo, coloque preços e telefone de contato. Assim você conseguirá divulgar seu trabalho e fortalecer a sua renda em cima dele!


66 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo